quarta-feira, 17 de junho de 2009

Desabafo

Talvez eu esteja errado ou talvez eu esteja certo em pensar que a nossa geração de adolescentes e jovens não tem tempo (se tem tempo, não tem vontade) para assumir compromissos com Deus ou com a igreja onde professam a sua fé.

Recentemente conversava com um pastor e desabafava dizendo que as coisas estão muito difíceis. Os jovens, de maneira geral, não respondem mais as verdades das Escrituras, são insensíveis as doutrinas, vivem de qualquer jeito, são alienados. Conhecem mais as letras das músicas da Ivete Sangalo do que as letras da Bíblia. São superficiais quando o assunto é Deus. Muitos nasceram na igreja e não sabem dizer nem se quer quais as duas doutrinas que um cristão necessita conhecer e viver para ser salvo! São muitos os podres, muitas as intrigas e falta de comunhão e não seria um mal resumo dizer: “Eles buscam a Deus em terceiro lugar”. Há ainda extremos terríveis. Já ouvi da boca de um “irmão” que ele não é convertido e que se batizou e toma a ceia do Senhor porque o seu pai o força! Ou seja, não é somente culpa da espiritualidade dos jovens. O problema é mais complicado, o buraco é mais fundo do que eu imagino, se eu não estiver errado. Esse pastor me dizia que por onde ele tem passado, essa tem sido a realidade nas mocidades das igrejas históricas.

Tenho visto na minha experiência um quadro negativo. Não consigo dizer: “Nossos jovens são fortes”. Já me questionei algumas vezes se estou sendo duro ou exigente de mais. Encontro pessoas que me dizem que sou exatamente assim. Mas quando leio os profetas (Isaías, Jeremias, Ezequiel, Malaquias...), quando leio o sermão de Jesus em Mt 5-7 ou quando medito nas cartas de Paulo, não percebo que a Bíblia exorta no sistema “rédeas frouxas e vistas grossas”. O padrão é alto de mais para todos. Mas graças a Deus pelas Suas misericórdias e pela Sua Palavra que assim nos diz: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1Jo 1.9). Acontece que estamos mais para o versículo 10 do que para versículo 9 de 1Jo 1: “Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” Será que estou sendo injusto? Será que o desânimo está me dominando? Será?

Em determinado momento, disse ao pastor: “Acho que Deus está segurando a mão dEle para que venha o atormentador dia da apostasia final (2Ts 2.3, Mt 24.21)”. A Bíblia fala que Deus abomina a teologia da prosperidade (Mt 6.21,24,25), abomina uma vida que não O prioriza, relaxada com a Sua obra (Ag 1.4, Jr 48.10), abomina os falsos apóstolos e profetas (Jr 23, 2Co 11.4,5), abomina as tradições (Mt 15), abomina os relacionamentos mistos (Gn 6.2,3, Ed 9.1-3, 2Co 6.12-16)... no entanto, tenho a sensação que Deus está somente observando essas coisas acontecerem. Sei que Deus é soberano, sabe perfeitamente quando agir. Não estou apressando o Senhor. Antes, sendo eu um amilenista na escatologia, tento entender as coisas ao meu redor na perspectiva das Escrituras. Como já disse e novamente repito talvez eu esteja errado e então acontecerá um reavivamento pelo poder de Deus semelhantemente ao Grande Avivamento que aconteceu no século 18 e que varreu toda a Inglaterra, se espalhando para outras regiões do mundo. Mas se não houver um verdadeiro despertamento espiritual da nação brasileira, das famílias, dos líderes, dos jovens, creio que caminhamos a passos largos para dias muito difíceis “e, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos” (Mt 24.12) e se tais dias não fossem abreviados “ninguém seria salvo; mas, por causa dos escolhidos, tais dias serão abreviados” (Mt 24.22).

Restaura, SENHOR, a nossa sorte, como as torrentes no Neguebe” (Sl 126.4). Restaura, SENHOR. Amém!

8 comentários:

Claudio Cavalhieri disse...

Graça e Paz do Senhor Jesus!
Amado Danilo, de fato vivemos uma época de "ateus" inconscientes, ou seja, crentes que professam crer em Cristo, mas que na pratica demonstram muito mais de ateismo do que cristianismo.
Tenho enfrentado também grandes dificuldades nessa área, onde estudamos as Escrituras e quando a expomos o povo não sente a mesma força que sentimos.
Tenho clamado ao Senhor que me de perseverança para continuar em sua grande obra.
O que me move sempre pra frente é a plena convicção de que Deus está sim agindo em tudo e em todos.
Creio que Deus sempre está preparando vasos santos para morarem com Ele, assim como também preparando os vasos de Ira para o dia da destruição.
Clamo a Deus para que eu sempre me lembre de sua soberania que é absoluta sobre tudo e todos.
Irmão, juntemos nossas orações pedindo assim que Deus nos revele seu remanescente fiel para caminharmos sempre juntos.
Que o Senhor te abençoe!

Rodrigo Melo disse...

Olá!

Quando jovem eu tinha as mesmas preocupações! Pensava tanto sobre isso que ficava até deprimido.

Cresci ao redor de jovens crentes, filhos de pastores, percebi que de nada vale isso, como dizem por aí filho de pastor, pastorzinho não é!

O fato é que devemos primeiramente nos colocar na presença de Deus e pedir por sua orientação e misericórdia, afim de saber se devemos agir e em qual momento.

Eu passei minha juventude inteira camuflando o velho homem, talvez os jovens de hoje tenham se aperfeiçoado em camuflar o velho homem. Vivi momentos de puro avivamento, mas não passaram de oba-oba.

Hoje percebi o quanto fez falta rédias curtas, estudos e acompanhamentos. Faltou discipulado, faltou amigos crentes de verdade.

Enfim, só queria compartilhar um pouco da minha história. E se vc está a frente do trabalho de jovens, tenho algo a dizer: " Não desista deles!"

A Paz!

Leonardo Bruno Galdino disse...

Caro Danilo,

Gostaria de compartilhar dessa mesma angústia que você está sentindo. Saiba que não é somente aí onde você está que isso acontece. O problema é quase que generalizado. Queria dar um exemplo disso no seu blog. Quantos jovens de sua igreja comentam os textos que você publica? Já cansei de ver você sendo o primeiro a comentar suas próprias postagens. Isso é o cúmulo! O mínimo que a juventude de nossas igreja poderia fazer é prestigiar o trabalho daqueles que se esforçam para oferecer o melhor a elas. Mas nem isso fazem. Também estou um pouco triste com a juventude de minha igreja, mas tenho esperança em Deus de que dias melhores virão. Mas, enquanto ainda não chegam, vou alimentando em mim esse desejo de desabafar assim como você está fazendo. Oro a Deus para que eu não precise fazer isso!

Tenhamos bom ânimo e continuemos firmes e perseverantes!

Deus te (nos) abençoe!!!

Danilo Neves disse...

Amados Cláudio, Rodrigo e Leonardo. Graça e paz, em Jesus, o Filho de Deus.

"Remanescente". Há sempre outros firmes, que não dobraram os joelhos e não beijaram Baal (1Rs 19.l8), há sempre fieis irmãos espalhados pelo mundo que sofrem as mesmas dores que nós (1Pe 5.9), há irmãos de verdade, como Onesíforo,companheiros nas batalhas e que não nos deixam,(2Tm1.15-17), existem aqueles que oram por nós enquanto passamos por lutas e medos (At 12.12) e acima de tudo e de todos, está o nosso Senhor. E assim Ele nos diz:

"De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei" Hb 13.5

Ele sempre está conosco, seja na alegria ou na dor.

"Assim, afirmemos confiantemente: O Senhor é o meu auxílio, não temerei; que me poderá fazer o homem?" Hb 13.6

Guardarei também as palavras de todos vocês:

"Clamo a Deus para que eu sempre me lembre de sua soberania que é absoluta sobre tudo e todos.
Irmãos, juntemos nossas orações pedindo assim que Deus nos revele seu remanescente fiel para caminharmos sempre juntos"

"Enfim, só queria compartilhar um pouco da minha história. E se vc está a frente do trabalho de jovens, tenho algo a dizer: " Não desista deles!"

"Também estou um pouco triste com a juventude de minha igreja, mas tenho esperança em Deus de que dias melhores virão. Mas, enquanto ainda não chegam, vou alimentando em mim esse desejo de desabafar assim como você está fazendo. Oro a Deus para que eu não precise fazer isso!Tenhamos bom ânimo e continuemos firmes e perseverantes!Deus te (nos) abençoe!!!"

Amém.

Alberto Francener disse...

Neves, concordo com a sua opinião nesse seu desabafo.
De fato, esse blog e os demais trabalhos da nossa Igreja têm sido sustentados por um grupo reduzido de irmãos.

O comentário do Leonardo Galdino também é verdadeiro. Nossa mocidade, além de pouco ajudar nos posts nem ao menos se empenha em comentar os mesmos.

Porém, nesse post, a ausência de comentários, além do motivo apresentado pelo Galdino (a pouca participação da mocidade), tem uma outra razão: você tocou na nossa ferida, Neves!
E por isso as palavras são difíceis de serem escritas por alguém da nossa mocidade...

Eu me senti constrangido pelo seu post. A carapuça serviu para mim... Só espero que isso produza frutos (arrependimento), em vez do mero remorso...

Mas, digo-lhe algo, meu irmão: nenhuma obra no Senhor é infrutífera. Que nos lembremos das palavras de Paulo:

"E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos." (Gl 6.9)

Então não desfaleça!

Abraços,

Alberto Francener Nogueira Gonzaga.

P.S.: além do que o Galdino disse, fico triste pois as pessoas da nossa mocidade, além de não comentarem os posts, nem se dignam a dar um clique no campo "Reações" ("engraçado", "interessante", "legal") ao final de cada post.

pr.fabio.ito disse...

Estimado Danilo Neves,
Creio que não nos conhecemos, mas tenho tido um grande prazer em ler seus posts.
Creio que suas considerações sobre a igreja são realistas e refletem o estado espiritual de toda igreja. Infelizmente, vivemos uma época de relativismo e sincretismo religioso. A situação está realmente problemática, ao ponto de vermos valores bíblicos serem menosprezados como sendo antiguados e caretas.
Mas quero dizer, que esse sentimento angustiante face a situação da igreja, é o mesmo sentimento que Paulo mantinha por seus filhos espirituais. Ele chegava a dizer que sentia dores de parto até ver Cristo ser formado neles. As Escrituras nunca nos orientam ao comodismo, mas sempre ao não-conformidade a fim de sermos transformados pela renovação de nossa mente.
Além disso, a situação problemática da igreja nunca foi pretexto para que Paulo desistisse de sua missão como servo do Senhor, ao contrário, o motivava ainda mais. Paulo tinha consciência que pregaria a muitos, mas somente os escolhidos permaneceriam fiéis.
Portanto estimado Danilo, quero que saiba que estou contigo nesta batalha, pois não entramos na vida em Cristo para uma vida mansa, mas para nos gastarmos em prol do reino de Deus e sua glória.
Não desista, pois Deus nunca desiste de você.
Abraços.
Fábio Ito.

Danilo Neves disse...

Alberto,

bem lembrado por ti o Gl 6.9. Comentar posts talvez seja algo difícil de se fazer. Recentemente uma irmã nossa disse que não comenta porque não sabe o que escrever, mas que mesmo assim ela gosta de ler os textos. Esse é um ponto. Um outro ponto é, de fato, a falta de interesse dos nossos irmãos. "E não nos cansemos...".

Pr. Fábio Ito,

bem depois que escrevi esse desabafo, comecei a ler Apocalispse 1 e a meditar. Sabe, irmão, aquela é a perspectiva! Jesus, o princípio e o fim, no meio dos candelabros, observando com "olhos de fogo". As palavras do irmão, de maneira equilibrada, diz que há problemas, há uma missão e que não podemos desistir. Paulo se fez exemplo e sofreu dores muito maiores do que as minhas. E o que dizer sobre o Senhor Jesus?? "Nunca devemos ficar gastando tempo pensando no futuro da igreja" Lloyd-Jones. Depois que me equilibrar em Ap 1, entendo o que o pr. Jones quis dizer, meu irmão. Obrigado pelas palavras de estímulo e por nos visitar, pr. Fábio Ito.

Graça e paz, em Jesus, o Filho de Deus. Amém!

Danilo Carlos disse...

Bom Neves, como disse em um outro post: estou de volta!!

Realmente este post toca na nossa ferida, como disse o nosso irmão Alberto. Apesar de já ter lido o mesmo lá no mural da Igreja vou comentá-lo meio que atrasado.

Creio que aquilo que foi estudado na EBD de domingo (05/07/2009)se encaixa perfeitamente no desinteresse e falta de compromisso de muitos atualmente (creio que não seja somente dos jovens e adolescentes): família, trabalho/dinheiro e lazer sempre vem antes de Deus.

E a cultura moderna é essa: os jovens já crescem desde os primeiros anos de ensino fundamental estudando feito loucos para passar no vestibular.Os cursinhos e ensino médio tem aula o dia inteiro, sábados e ainda inventam simulados no domingo pro pessoal faltar EBD e culto. Assim têm que estudar, estudar e estudar para passar em um curso bom na faculdade e o tempo que sobra querem descansar e desfrutar de algum lazer e sempre se esquecem de Deus.

Ao entrar na faculdade, com a vida espiritual fraca, querem aproveitar dos "prazeres" que este ambiente proporciona, embora muitos o façam camufladamente.

Depois que começam a trabalhar querem é ganhar dinheiro se matando de trabalhar e o tempo que sobra é da família e do lazer e Deus sempre vai ficando para segundo plano...

Infelizmente essa é a vida moderna. E creio que isso tem afastado não só jovens, mas muitos crentes do verdadeiro evangelho, que demanda tempo e alimento espiritual diário.

Bom vou finalizar e acho que divaguei demasiadamente. Mas creio que esta situação contribua bastante para o tema levantado pelo Neves.