domingo, 31 de maio de 2009

Chico Xavier Voltou!

video

Chico Xavier está de volta, meus irmãos! Dessa vez ele "reencarnou" em um filme, que será lançado em 2010 (ver trailler acima). Não estou interassado no filme, mas estou interessado em saber o que os irmãos conhecem sobre o espiritismo.

Quando comecei a estudar essa seita, me deparei com algumas informações interessantes. Passarei algumas delas aos leitores do umpcgyn, pois, afinal de contas, é sempre bom sabermos onde pisamos antes de dar o primeiro passo. Precisamos conhecer as heresias (especialmente as que se dizem "cristãs") não para crer, mas para combater.

A crença na transmigração das almas apareceu na literatura hindu por volta do século VII a.C, embora sua origem possa ser muito mais remota. Os Upanixades, hinos védicos hinduístas, manifestavam claramente essa crença. O filósofo grego Pitágoras, que viveu no século VI a.C, advogava a metempsicose, ou transmigração das almas, como um meio para se alcançar a purificação total.

O espiritismo moderno surgiu em Hydesville, nos EUA, com as irmãs Margaret e Kate Fox. As duas eram ainda crianças quando, em 31 de março de 1848, aconteceram as primeiras manifestações espíritas. Começaram a ouvir-se pancadas na casa da família Fox e depois móveis passaram a mover de uma parte para outra. Kate, então, teve a idéia de comunicar-se com o poder invisível que produzia os ruídos, pedindo-lhes que repetisse o estalido de seus dedos. O pedido foi atendido. Kate e sua irmã desenvolveram um sistema de comunicação com o suposto espírito, que respondia as suas perguntas mediante um código previamente estabelecido.

Esses fatos foram amplamente divulgados e, pouco depois, sessões espíritas eram realizadas por toda a parte.

Em 1854, um homem chamado Foriter falou a Hippolyte Léon Denizard Rivail, um erudito professor de Fisiologia, Astronomia, Química e Física, sobre o fenômeno das mesas girantes e mais tarde falou-lhe também que era possível conseguir que elas falassem. A princípio Rivail considerou a idéia absurda, no entanto, um ano depois Rivail assistiu a uma reunião na casa de uma mulher chamada Plainemaison, onde presenciou fenômenos que o impressionaram profundamente.

Aceitando a teoria da intervenção de espíritos naqueles fenômenos, Rivail passou a frequentar uma casa onde eram realizadas sessões de mediunidade.

No dia 25 de março de 1856, numa sessão, Rivail recebeu, através de uma médium, a revelação de que certo espírito seria dali por diante seu guia espiritual. Esse espírito se identificou como "a verdade". Mais tarde foi lhe revelada a sua missão de divulgar a nova religião. Rivail veio a saber também que o espírito "a verdade" era o próprio Espírito Santo, o Espírito da Verdade que Jesus prometera enviar, conforme João 14.16,17a (OLHA A INTERPRETAÇÃO QUE O CARA DEU PRO TEXTO, rsrsrs).

Em consonância com a crença na reencarnação dos espíritos, Rivail adotou o pseudônimo de Allan Kardec, que teria sido o seu suposto nome numa encarnação anterior.

Kardec começou a fazer perguntas aos chamados "Espíritos Superiores", através de vários médiuns. Compilou e coordenou todas as perguntas e respostas (foram ao todo 1018). Surgiu então O Livro dos Espíritos, dando origem ao Espiritismo Kardecista, em 18 de abril de 1857, afirmando ser a terceira e última revelação de Deus à humanidade, sendo as duas anteriores o Judaismo e o Cristianismo. Este, segundo Kardec, havia apostatado da fé, desviando-se dos ensinamentos de Jesus; assim, seria preciso restabelecê-lo através do Espiritismo, considerando o Cristianismo redivivo (ou restaurado). O espiritismo seria o autêntico intérprete da "verdadeira doutrina" ensinada por Jesus.

A primeira sessão espírita registrada nos anais do espiritismo brasileiro foi realizada na noite de 17 de setembro de 1865, em Salvador - BA, sob a direção de Luís Olímpio Teles de Menezes. Este fundou no mesmo ano o primeiro centro espírita, como o nome de Grupo Familiar do Espiritismo. O Brasil é considerado a "pátria do Kardecismo", sendo Franscisco Cândido Xavier - o Chico Xavier - sua figura mais destacada.

Os principais grupos religiosos ligados diretamente ao espiritismo no Brasil são classificados em duas grandes categorias: o alto espiritismo - de origem Kardecista, incluindo a Federação Espírita Brasileira - e o baixo espiritismo, nome genérico dado aos cultos religiosos de origem africana que, chegando ao Brasil, incorporaram, com o passar do tempo, elementos do Kardecismo e do catolicismo popular, sendo por isso também designado como cultos afro-brasileiros, entre os quais se incluem a umbanda, o candomblé e outros.

"Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora" 1Jo 4.1

8 comentários:

Danilo Carlos disse...

Interessante a interpretação do texto de João!!!

Mas saber mais de outras doutrinas é bom para ficarmos cada vez mais imunes às suas falácias.

Danilo Neves disse...

Inforações sobre os ensinos do espiritismo kardecista

A "Doutrina dos Espíritos", codificada por Allan Kardec, é a norma para os kardecistas. Suas obras-padrão são: O livro dos espíritos, O evangelho segundo o espiritismo, A gênese, O céu e o inferno, O livro dos médiuns, O que é espiritismo e Obras póstumas. A revista O Reformador é o órgão oficial dos kardecistas, editada pela FEB. Destas obras, podemos extrair o seguinte:

---Bíblia: O kardecismo não crê na sua inspiração divina nem na sua infalibilidade. Ela não pode ser considerada a "palavra de Deus" nem uma "revelação sobrenatural". Seu relato sobre a criação é visto como fantasia, lenda, pois crêem na teoria da evolução de Charles Darwin. Do AT, apenas os Dez Mandamentos são recomendados; quanto ao NT, aceitam apenas a moral de Jesus apresentada nos Evangelhos; os demais livros são considerados de valor secundário, revogado ou sem valor algum, pois não passam de opiniões pessoais dos autores. A Bíblia só é citada quando convém aos interesses do kardecismo.

---Deus: "Há um Deus, inteligência suprema, causa primária de todas as coisas. Ele é eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, justo é bom". Este conceito de Deus revela a influência do Cristianismo sobre Kardec, com a seguinte exceção: O kardecismo nega a doutrina da Trindade, por considerá-la obscura e incompreensível. Em sua obra A Gênese, Kardec nega a divindade de Jesus Cristo, que faz parte da doutrina trinitariana. O Espírito Santo não é visto como ser pessoal, logo, também não é Deus.

---Jesus: Sua humanidade é defendida por Kardec, entretanto, sua divindade é negada. Quando os escritores do NT o identificavam como Deus, exprimiam unicamente opinião pessoal. Jesus era tão somente um espírito puro que foi enviado pelo Pai a fim de cumprir uma missão: levar a humanidade a um grau maior de evolução; isto explicaria seu título "Filho Unigênito", isto é, ele era o único predestinado por Deus para cumprir tal missão naqueles dias. Ele foi modelo supremo de suportar privações e sofrimentos. Sua ressurreição corporal dentre os mortos não ocorreu. Segundo Kardec o corpo físico de Jesus simplesmente desapareceu, ficando em seu lugar o corpo fluídico. Seus milagres são explicados como fenômenos mediúnicos. Alguns deles nada teve de milagroso, como é o caso da ressurreição de Lázaro, vista apenas como um simples caso de latargia (caso em que os órgãos vitais param de funcionar, recuperando algum tempo depois seu pelo funcionamento).

---Espírito Santo: "E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consalador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade" (Jo 14.16,17a). Kardec interpretou estas palavras de Jesus como se cumprindo no Espiritismo. Assim, o Espírito Santo predito por Jesus seria a doutrina dos espíritos puros, superiores e bons, codificada por ele. Segundo Kardec, as palavras de Jesus não poderiam ter se cumprido no primeiro século porque o Espírito Santo "nada ensinou aos discípulos a mais do que Jesus havia ensinado", sendo assim, "não realizou o que Jesus anunciara do outro Consolador". Foi somente na década de 1850, na França, que as palavras de Jesus foram cumpridas. Fica portanto contraditada a concepção cristã do Espírito Santo como um ser pessoal e um só Deus com o Pai e o Filho.

Danilo Neves disse...

---Salvação: Segundo Kardec, o destino do homens na terra como no céu depende do seguinte princípio: "Fora da caridade não há salvação". Assim, a fé em Jesus não confere salvação. Os pecados não podem ser perdoados pelos méritos de Cristo. Ele foi apenas um exemplo de vida abnegada a favor do próximo. Cada um deve expiar seus próprios pecados através da reencarnação. Léon Denis, importante escritor epírita, chegou a declarar: "Não, a missão do Cristo não era resgatar com o seu sangue os crimes da Humanidade. O sangue, mesmo de um Deus, não seria capaz de resgatar ninguém. Cada qual deve resgatar-se a si mesmo, resgatar-se da ignorância e do mal (...). É o que os Espíritos, aos milhares, afirmam em todos os pontos do mundo".

A cada ciclo reencarnatório, o espírito vai purgando seus pecados, através de seus esforços pessoais, de suas boas obras, até atingir o ápice do progresso evolutivo, que é tornar-se "espírito puro", que são mensageiros de Deus, cuja tarefa é manter a harmonia do universo. Estes são isentos de qualquer mácula, pecado ou apego a coisas materiais.

---Vida após morte: Não há nem céu nem inferno, tais como são concebidos pelo Cristianismo. Tanto o céu quanto o inferno são estados de consciência dos espíritos desencarnados. A medida em que progride moral e intelectualmente, o espírito vai se aperfeiçoando, até atingir o grau máximo na evolução: Espírito puro ou perfeito. Nisto consiste o céu. Já o inferno consiste dos sofrimentos pelos quais passa o espírito que, quando desencarna, carrega falhas de ordem moral, revelando uma natureza impura e imperfeita. O juízo após a morte é desacreditado. Não há ressurreição (união da alma com o corpo) mas reencarnação (a alma habita diversos corpos diferentes através dos séculos e em vários mundos, expiando seus pecados, até que finalmente se torna espírito puro). No Kardecismo, a reencarnação é sempre evolutiva, ou seja, um ser humano jamais poderá regredir, nascendo, por exemplo, como um animal. Ele só poderá reencarnar numa forma de vida superior.

---Angeologia: Não existem anjos, demônios e nem tampouco Satanás. Estes seriam tão somente "espíritos inferiores".

Danilo Neves disse...

Concordo "in totum" com você, Danilo.

Pabline Rafaella disse...

É incrível como as pessoas creem em certas coisas que se contradizem o tempo todo... Como a queda, o pecado afetou e afeta enxergarmos a Deus. Assim, como várias outras seitas utilizam uma interpretação errônea das escrituras para benefício próprio, o espiritismo o fez. Não creem na infalibilidade das escrituras, utilizando apenas as partes que lhes convém. A bíblia vai de encontro com feitiçarias, encantadores, salvação por boas obras dentre vários outros pontos existentes nessa seita, no entanto, muitas pessoas se sentem confortadas pelas possibilidades existentes nos cultos espíritas (assim como em muitas igrejas que se dizem cristãs), se deslumbram com os acontecimentos (psicografia, curas...) e chegam a dizer que creem em Deus e em várias entidades, gerando uma verdadeira salada herética.
Que Deus nos ajude a combater sabiamente essas e muitas outras heresias.

Pabline Rafaella disse...

Achei muito bom os seguintes comentários acerca de seitas em geral...
"Temos vivido dias enganosos. Muitos têm sido enganados por falsificações, por fatos que aparentemente são reais, a tal ponto que, por eles, vão às ultimas conseqüências. Mas não são verdadeiros, são falsos, e esta é uma característica do diabo, de satanás, o pai da mentira, o pai da falsificação. E neste contexto as seitas são exatamente o que aparenta ser verdadeiro e por isso têm enganado a tantos...
É fato real que a grande maioria das pessoas está em busca de solução para os seus problemas, uma vida melhor, vida de paz, sem problemas, sem doença, mas são avessas às exortações, às recomendações de santificação; estão buscando pão como nos dias de Jesus. "Vós me procurais não porque vistes sinais, mas porque comeste dos pães e vos fartastes" (Jo.6:26). Aqui é que entra a seita, pois ela oferece ao povo exatamente aquilo que ele necessita (quer). E se você repreende alguém, recebe esta advertência: "Veja o bem que estou recebendo! Se me faz bem, deve ser de Deus!" Ou seja, se traz sucesso, solução, fez-me mudar de vida e traz felicidade, deve ser de Deus.
É exatamente aí que satanás arma sua cilada e já tem dominado muitas vidas. Lembrem-se que muitas organizações que ridicularizam o cristianismo podem ajudar as pessoas e fazê-las felizes. Lembro aqui os psiquiatras e psicólogos ateus. Eles podem trazer resultados muito bons, sem nada de orientação cristã. O próprio espiritismo tem trazido solução para muitas vidas.” Falsificações por Lloyd-Jones, "O Combate Cristão - Exposição sobre Efésios 6:10-13".

Floriano Nascimento disse...

É interessante q o mesmo recurso utilizado para comprovar a origem do espiristismo, a Bíblia, também condena a prática da mesma. Observemos bem o q diz Isaías 8:19-20 "Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os advinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos? (Agora vem minha parte favorita) À lei e ao testemunho! Se eles não falarem desta maneira, jamais verão a alva." Creio q o texto deixa bem claro sobre essa questão sobre o espiritismo. Volto a repetir so q em forma de pergunta: Como o mesmo autor da bíblia (Deus) pode falar uma coisa e depois se contradiz em outra? De duas uma: ou Deus é contraditório e a Bíblia inteira é uma mentira de Deus ou o camarada q interpretou a passagem de João é um tremendo de um enganador. Façam suas apostas!

Danilo Neves disse...

Cara Pabline Rafaella:

O espiristismo massageia demais a alma do incrédulo. Ele é atraente! Não confronta pecados, não diz que você é culpado e que necessita de arrependimento e de um Salvador (Jesus) e não fala sobre o Dia do Juízo. Ele diz que podemos continuar a manter contato com os entes queridos, além de oferecer uma simplificada ética moral, que se resume a vários atos, chamados de "ações espíritas" (confiar em Deus, em Jesus e nos Espíritos Superiores, além de confiar em si mesmo e valorizar o livre arbítrio, reconhecendo que todos os espíritos foram criados iguais entre si, simples e ignorantes, tendo, porém as mesmas possibilidades de progredir). É fácil de mais seguir o espiritismo assim como é largo de mais a porta pro inferno.

Grande abraço, amor!


Caro irmão Floriano:

Muito bem colocado texto de Is!! O problema é que eles sempre tem um espirituzinho camarada para contar ou revelar pra eles coisas que Deus não quis dizer nem aos profetas, nem a Jesus e nem aos apóstolos (obs.:nossos irmãos pentecostais gostam também de dizer que tiveram revelações extras). Eles são cegos que guiam cegos e fazem da Bíblia um "livro de conveniência". Se 2 + 2 = 4 fosse uma verdade revelada somente pelas Escrituras Sagradas, eles pegariam essa passagem e diriam que na verdade (pois o espírito chamado "a verdade" foi quem disse) é igual a 173429,624. É assim que funciona mesmo. Agora, tem outra explicação complementar a essa. Os demônios existem e deitam e rolam com os seguidores do espiritismo. Ai de quem ignorar essa verdade!

Grande abraço, primo.